Devido à grande quantidade de lugares que escolhemos para conhecer e à disponibilidade de vôos, acabamos deixando apenas um dia para Cingapura (ou Singapura, já que ambas as grafias estão corretas segundo a Academia Brasileira de Letras). Foi um dia intenso mas que nos deixou com uma excelente impressão.

Cingapura tornou-se um país independente somente em 1965. Já foi dominada por britânicos e japoneses e em 1963, antes da independência, passou a fazer parte da Malásia. É o quarto principal centro financeiro e tem um dos portos mais movimentados do mundo. Com um PIB per capita tão alto (54.000 USD em 2012) é um dos países mais ricos que existem.

A cidade parece perfeita. Como porta de entrada o aeroporto é impressionante: moderno, grande e extremamente organizado. Novamente sentimos vergonha do antiquado aeroporto de Guarulhos. Ficamos hospedados em um hotel dentro do aeroporto e pegamos o metrô para a cidade. Nosso primeiro destino foi a famosa piscina do hotel Marina Bay Sands, hoje a maior borda infinita existente, localizada no último andar do hotel. Existe uma visita guiada mas o ideal é falar que vai no restaurante KuDéTa, que fica em uma posição privilegiada e tem excelentes drinks e petiscos. É surreal o que o homem consegue construir.

O hotel fica localizado sobre um shopping, muito moderno e com todas as lojas de grifes que puder imaginar. A menos de 500 metros do shopping foi construído um imenso jardim denominado Gardens by the Bay, onde encontramos duas redomas climatizadas com plantas de várias parte do mundo, lagos e gigantescas árvores de ferro, que na realidade são grandes jardins verticais.

Fomos caminhando beirando o rio por bairros comerciais, passando por gostosas ruas cheias de bares e restaurantes até chegar no Clarke Quay, o primeiro shopping de restaurantes, bares e baladas que já conheci. Lá encontramos o Fernando e o Francis, que trabalham na mesma empresa que a Mila, para um animado happy hour e jantar.

Pela conversa pudemos ver que a nossa impressão de estarmos em uma cidade quase perfeita não era errada. É uma cidade organizada, limpa, segura, com excelente transporte público, muito entretenimento e bastante rica. Realmente tudo funciona em Cingapura, desde o planejamento estrutural até o rigor das leis. Nem pensem em mascar chiclete, proibido desde 1992, uma vez que as pessoas jogavam no chão ou grudavam em locais indevidos após o consumo, o que acabava sujando demais a cidade. O defeito que encontramos é ser uma cidade extremamente cara!


Comente no Facebook!

comentários