Como falamos no último post viajar para Índia não é apenas um passeio, é uma experiência transformadora. Acho que nada te prepara para o que você irá vivenciar, mas quanto mais informações menor será o choque cultural. Listamos algumas dicas que podem ajudar na sua preparação:

1 –  Estude

Eu sempre gosto de ler bastante e ver filmes sobre a cultura e história do lugar que irei conhecer. Dicas de blogs também ajudam. No caso da Índia dois livros foram muito úteis:

Este livro conta a história real de Anita Delgado, uma bailarina espanhola que se tornou a princesa de Kapurthala em 1907, ao se casar com uma marajá indiano. O livro prende a atenção do começo ao fim e é incrível acompanhar o choque cultural de Anita ao se mudar para um local com costumes tão diferentes dos seus. O autor fez uma bela reconstituição do relacionamento do casal mesclada com acontecimentos históricos. Para mim a viagem à Índia e as visitas aos antigos palácios dos marajás teve outro significado depois deste livro.

Mausoléu

Este é um livro leve e divertido que conta as principais histórias da antiquíssima mitologia hindu sem levar em consideração seu aspecto místico. A mitologia hindu é bastante complexa e cheia de significados. Este livro serve para que você obtenha algum conhecimento inicial do tema. Foi muito útil ter lido o livro ao visitar os templos e palácios e entender o que estava representado naquelas pinturas todas. Lógico que para um entendimento mais profundo e espiritual foram necessários outros livros com outro enfoque.

Oferendas ao Rio Ganges

2 – Providencie visto e vacina

Brasileiros precisam de visto de entrada. Agora já temos a facilidade do Visto de Turismo Eletrônico (e-TV). Podem beneficiar-se dessa modalidade de visto os viajantes cujas únicas motivações de viagem sejam turismo, recreação, visitas informais a amigos ou familiares, tratamentos médicos de curta duração e reuniões informais de negócios. O visto tem duração de 30 dias a partir da data de chegada na Índia e permite apenas uma única entrada. Mais informações no site da Embaixada da Índia no Brasil.

É exigido também o Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela que precisa ser providenciado com pelo menos 11 dias de antecedência da viagem.

3 – Faça um bom seguro viagem

Como sempre é melhor prevenir do que remediar. Quem já precisou de atendimento médico fora do Brasil sabe que ter um bom seguro viagem é o melhor investimento. Na nossa viagem para Índia tanto eu quanto o Danilo tivemos que utilizá-lo. Danilo pegou uma mega infecção alimentar (problema bastante comum entre os turistas) e eu levei uma mordida de um esquilo que vivia em um lixão e tive que tomar as primeiras doses da vacina anti-rábica. Conto esta aventura em outro post!

4 – Escolha a melhor época para viajar

A Índia apresenta diferentes climas de norte a sul. Mas, de modo geral, existem 3 estações: a quente, a das monções (muita chuva) e a fria. De fevereiro a maio o clima é quente e seco. Em junho começa a estação das monções, que se estende até meados de outubro. A umidade é alta, com dias e noites chuvosos e temperaturas altas. O período de outubro a fevereiro é o que mais recebe turistas. De outubro a novembro o clima é ameno e em dezembro começa a temporada de frio.

Nova Delhi

5 – Fique em bons hotéis

Na Índia esta é uma boa decisão. Nada como voltar para um oásis depois de um dia intenso pelas ruas.

6 – Contrate guia e motorista

Se não estiver acostumado a explorar países com idioma e cultura tão diferentes dos nossos, não escolha a Índia como primeira opção para se aventurar sozinho. E nada de pensar em alugar carro, o trânsito é caótico.

Trânsito na Índia

7 – Leve potinhos de álcool gel

E carregue com você pelas ruas. Higiene não é o forte do país.

Rua na Índia

8 – Leve meias velhas

Nos templos não é permitido entrar de sapatos, eles ficam do lado de fora. As meias ajudam bastante a manter os pés limpos.

9 – Cuidado com alguns comportamentos

Não toque na cabeça das pessoas e nem aponte a sola dos pés para eles. Nunca toque uma divindade. Utilize sempre a mão direita para cumprimentar e pegar objetos. Cuidado ao fotografar as pessoas, especialmente as mulheres muçulmanas. Peça sempre permissão.

Noiva indiana

10 – Prepare-se para barganhar

Nos bazares de rua peça descontos. Os preços nas etiquetas são sempre mais altos do que as mercadorias valem.

11 – Cuidado com comida e bebida na rua

Evite comer na rua ou em restaurantes fora dos hotéis. Evite comidas cruas, frutas descascadas e gelo. Tome somente água mineral engarrafada.

Refrescos vendidos na rua

12 – Leve equipamentos bivolt automático ou 220V

A voltagem na Índia é de 220V. A maioria dos hotéis tem transformadores, mas tudo fica mais simples se os equipamentos já forem bivolt automáticos.

13 – Prepare-se para a pimenta

A culinária indiana é bastante apimentada, se você não gostar ou for sensível avise sempre antes de fazer suas escolhas nos restaurantes. Eu particularmente sou apaixonada por  aquele aroma inconfundível do curry e provo de tudo. Adoro comida apimentada então não precisei me preocupar com este item.

Jantar típico na Índia

14 – Vá de coração aberto

E, por último, a dica mais valiosa. Abra seu coração e se entregue. Você vai precisar de muita paz de espírito para lidar com a desordem, com o barulho e com a pobreza. Vai se sentir muitas vezes invadido pois a noção de espaço pessoal deles é diferente da nossa. As encaradas talvez te deixem sem jeito. Mas vai se emocionar, se deslumbrar e se transformar.

Crianças indianas

Afinal qual o sentido de viajarmos? Para mim é ampliar minha visão de mundo. Explorar línguas, costumes e religiões diferentes dos meus. Descobrir que meu ponto de vista é apenas um no meio de bilhões de outros.

Quando quero me informar, leio um bom livro ou assisto um belo documentário. Mas eles nunca trazem a intensidade de uma entrega de corpo e alma, de vivenciar outra realidade, de olhar com meus próprios olhos e ver que o outro é sempre diferente do que imaginamos.


Comente no Facebook!

comentários