Estamos todos muito chocados com o atual surto de microcefalia  que está acontecendo no Brasil e no mundo. O vírus da zika virou motivo de pânico para mulheres grávidas, para aquelas com seus bebês de colo com a suspeita de má-formação da cabeça e para mães de crianças pequenas, já que há indícios de que ele possa também causar transtornos neurológicos.

Transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, vetor também da dengue, da febre amarela e da chicungunya, o vírus da zika circula em 28 países de diferentes partes do mundo, o que levou a OMS (Organização Mundial da Saúde) a decretar situação de emergência internacional.

Nos noticiários e nas rodas de conversa o assunto está sempre presente. Além do medo e da busca por informações há uma grande comoção com as mães que tem pela frente o desafio de cuidar destas crianças especiais. Muitas delas estão desassistidas e com uma estrutura precária de atendimento às crianças.

Vendo esta dura realidade uma família de São Bernardo do Campo (SP), formada pelas irmãs Maria Clara e Maria Julia Vieira e a mãe delas, Cida Nicolau, resolveu agir. Elas criaram o site Cabeça e Coração onde mostram as histórias de mulheres carentes que tiveram filhos com microcefalia e dão o caminho das pedras para quem quer ajudar.

Cabeça e Coração

Em entrevista ao R7 Maria Clara contou sobre como surgiu o projeto:

Maria Clara – “Como sou jornalista de Saúde, estava em contato cobrindo os casos de bebês nascidos com microcefalia. Minha irmã e minha mãe estavam bastante tocadas, porque viam as notícias. Eram apenas números de casos. Mas nós queríamos mostrar os rostos de quem estava por trás desses números. Então, nós pensamos que poderíamos fazer alguma coisa para ajudar essas mulheres. Então, pensamos: “Quem está por trás desses números? O que poderia fazer para ajudar estando em São Paulo, tão longe dessas pessoas? ” Então, tivemos a ideia de criar o site contando histórias da mãe e dos bebês, dando o endereço delas para quem quiser mandar objetos e alimentos pelo correio e também coloco lá a conta bancária de quem preferir doar em dinheiro.”

Segundo Maria Clara, com apenas dois meses no ar, muitas brasileiras, de diferentes regiões do Brasil, já receberam ajuda com objetos, como berço, fralda, roupas, carrinho, alimentos, como leite cesta básica, além de que contam com ajuda de doações para alimentação, roupas e auxílio para transporte para levarem as crianças para tratamento nos hospitais.

Achei a iniciativa maravilhosa e já estou fazendo minha parte: ajudando algumas mães e compartilhando o site para que outros também possam ajudar.

Conheças estas histórias e ajude você também no link: Cabeça e Coração. Vamos ser solidários.