Existem vários caminhos que levam a Santiago de Compostela. Nós decidimos fazer o Caminho Francês começando em Saint Jean Pied de Port na França, o mais popular. O site da ACACS-SP tem diversas informações sobre as diferentes opções de caminhos.

No dia 15/07 pegamos um voo de Paris para Biarritz e seguimos de trem até Saint Jean Pied de Port. Já sabíamos que o primeiro dia do caminho só tem uma opção para comer e beber, então fomos ao supermercado comprar nossos lanches e água para o dia seguinte. Quando arrumamos as mochilas, incluindo em cada uma 1,5l de água e a comida, o peso aumentou bem e eu já decidi abandonar minha camiseta para dormir e meu hidratante na largada.

De Saint Jean Pied de Port a Roncesvalles: 27,1 Km

Para ir de uma cidade a outra você atravessa os Pirineus e também a fronteira França-Espanha. Existem duas opções para fazer este trecho: subindo as montanhas, via Orisson, sendo mais puxado, ou atravessando o vale, via Valcarlos. Quando chegamos no Centro dos Peregrinos da cidade eles estavam desaconselhando todos os peregrinos a irem pelo vale, pois a trilha estava muito perigosa, então nossa escolha já havia sido feita, íamos subir os Pirineus.

Este trecho é considerado um dos mais difíceis do Caminho Francês por algumas razões:

– só há uma opção para comer e dormir 8km depois de Saint Jean Pied de Port: Orisson. E este albergue precisa ser reservado com antecedência, ou seja, antes de ver em que condições você chegará lá você precisa decidir. Depois de Orisson são mais 19,5 Km sem nenhum ponto de apoio fixo.

– o desnível é enorme, você sai de 187 m de altura, sobe até 1.450 m em 21 Km e depois pega uma descida super íngreme, desce 470 m em 6 Km.

– o clima muda muito e você nunca sabe como encontrará o dia, inclusive é super desaconselhável fazer este trecho no inverno.

Por estas dificuldades, muitos peregrinos optam por começar sua caminhada em Roncesvalles.

Começamos a longa subida às 7 da manhã e chegamos em Orisson cansados mas super animados. Tomamos nosso lanche e seguimos subindo, subindo e subindo. O visual é lindo e bucólico, muitas ovelhas e vistas do vales. Aos 1.200 m encontramos um tiozinho muito simpático que fica com seu trailler vendendo sucos, guloseimas e ovos cozidos e dando o último carimbo francês aos peregrinos. Foi uma delícia descansar um pouco.

Quando estávamos esgotados de tanto subir começou finalmente a descida, mas não sei se melhorou ou piorou. Depois de tanto esforço nossas pernas já estavam tremendo e não obedeciam muito bem. As últimas duas horas foram as piores, sabíamos que estava perto mas não chegava nunca. Chegamos em Roncesvalles às 16:30.

Ao longo da caminhada às vezes estávamos sozinhos, às vezes conversando com outros peregrinos. Conhecemos vários deles e fiquei muito surpresa com a quantidade de pessoas diferentes que resolvem fazer o Caminho. Os motivos, as idades e as nacionalidades são bem variados. A maneira de fazer também: conhecemos desde um belga que vai fazer o caminho todo com 300 euros dormindo sempre nos bancos ou cantos das cidades, até casais que caminham com uma pequena mochila e tem um carro de apoio que leva seus pertences aos hotéis. Todos caminhando juntos com o mesmo objetivo: chegar em Santiago de Compostela.

Jantamos o menu del peregrino, que é uma refeição completa incluindo vinho, bastante comum no caminho. Assisti a missa dos peregrinos que dá a benção inicial para um bom caminho e fomos dormir, estávamos muito quebrados.


Comente no Facebook!

comentários